A Educação Sanitária em Defesa Agropecuária está amparada pela legislação abaixo:

Lei nº 9.712, de 20 de Novembro de 1998: define os objetivos da Defesa Agropecuária.

Decreto nº 5.741, de 30 de Março de 2006:  regulamenta o Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária (SUASA), especialmente seu artigo 39 que dispões sobre a Educação Sanitária em Defesa Agropecuária.

Instrução Normativa nº 28, de 15 de Maio de 2018: institui o Programa Nacional de Educação Sanitária em Defesa Agropecuária

O que é Educação em Saúde Animal ?

É a atividade estratégica e instrumento da Defesa Sanitária animal, que visa garantir o comprometimento dos integrantes da cadeia produtiva e da sociedade em geral no cumprimento dos objetivos.

Entende-se como educação em Saúde Animal em defesa Agropecuária o processo ativo e contínuo de utilização de meios, métodos e técnicas capazes de educar e desenvolver consciência crítica no público-alvo.

As diretrizes do Programa Estadual de Educação em Saúde da Defesa Agropecuária realizado pelo IDAF/AC são:

1. Promoção da compreensão e aplicação da legislação de Defesa em saúde animal pelos entes envolvidos nas cadeias produtivas e pela sociedade em geral;
2. Promoção de cursos de educação em saúde animal para diversos públicos-alvo;
3. Formação de multiplicadores;
4. Promoção da Saúde Única;
5. Utilização das mídias sociais e os meios de comunicação como instrumento de formação e de educação.

As ações de Defesa Agropecuária, desenvolvidas e executadas pelo IDAF, visam garantir a manutenção da sanidade das populações de animais, a idoneidade dos insumos e dos serviços utilizados na área animal acreana, bem como garantir a identidade higiênico-sanitária e tecnológica dos produtos de origem animal e destinados aos consumidores.

Para que o serviço de Defesa agropecuária tenha o alcance e a aceitação desejada de suas práticas pela sociedade, é necessário amplas ações de educação em saúde em conjunto com os profissionais da área da saúde, agricultura e meio ambiente, associações que prepare esta mesma sociedade, para reconhecê-las como de seu interesse e assim, conscientemente, se dispor a conhecer, aceitar e praticar as ações ordenadas e recomendadas.

Comunicação Social

A informação é um importante parceiro nos programas de promoção da saúde e prevenção de doenças e agravos. Para levá-la ao produtor rural e a toda população acreana de forma completa, transparente e democrática, colaborando para construção de uma gestão participativa, o Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Acre estruturou a sua Coordenação de Comunicação Social.

A COESA visa informar os produtores rurais, servidores e a população acreana sobre as ações, os programas e os serviços prestados pelo IDAF, ou seja, divulgar todas as informações que são de interesse público. Isso quer dizer que a meta do IDAF é prestar conta de todas as atividades desenvolvidas, zelando pela vigência dos princípios da transparência. Isso é feito através do Diário Oficial do Estado do Acre e da veiculação de notícias nos mais variados veículos de comunicação (TV, Rádio, Impressos e Internet) e mídias sociais (Instagram, facebook) assim como agendamentos de entrevistas.

  
      Política de atuação da Comunicação Social do IDAF:

  • Assessorar membros e servidores do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Acre em atividades de comunicação social;
  • Contribuir para a consolidação de uma identidade e imagem positivas do IDAF perante a sociedade;
  • Executar política de comunicação que atinja toda a população, por meio da divulgação de mensagens claras e objetivas;
  • Prover os meios de comunicação de todas as informações de caráter público geradas pelo IDAF;
  • Agendar entrevistas, individuais ou coletivas, a serem concedidas a veículos de comunicação;
  • Atualização sistemática das tecnologias de informação e comunicação (site e intranet);
  • Coordenar os trabalhos jornalísticos nas dependências do IDAF e a cobertura de eventos oficiais realizados pelo órgão;
  • Manter registros fotográficos de eventos realizados no IDAF ou por ele organizados;
  • Coordenar a produção de vídeos institucionais;
  • Organizar e difundir internamente informações administrativas e outras de interesses de membros, servidores e prestadores de serviços;
  • Cobrar a atualização de informações das coordenadorias do IDAF e equipes técnicas;
  • Apoio às equipes técnicas (Escritórios de Atendimento ao Cidadão, Unidades Veterinárias Local e Nível Central) para divulgação de ações e/ou materiais;
  • Clipagem dos veículos de comunicação (impresso/eletrônico) para acompanhamento da repercussão e definição de novas estratégias de comunicação.
  • Manter arquivos de fotos, vídeos e de demais materiais de interesse da que contribuam para a preservação da memória da Instituição;
  • Assessorar na solução de problemas institucionais que influam na posição da entidade perante a opinião pública;
  • Trabalhar em conjunto com outras Instituições públicas e privada;
  • Produção de material impresso para campanhas;
  • Produção de busdoors e outdoor para campanhas;
  • Produção de campanha áudio visual.

José Everton de Souza Arruda – Coordenador Estadual do Programa de Educação em Saúde e Comunicação Social do IDAF/AC

Email para contato: jose.everton@ac.gov.br